Outra vez...

Tenho pensado muitas vezes em como a vida está constantemente a instalar-nos e a desinstalar-nos. Os anos passam a correr, quando (re)paramos já terminamos o curso, já acabaram as férias grandes do Verão, já deixamos de falar com certas pessoas há anos.
Passamos a vida toda de um lado para o outro a adaptarmos o nosso dia-a-dia, à nossa condição. Hoje estou aqui e trabalho com estas pessoas, mas amanhã já posso estar na outra ponta do país (mundo?) com outras pessoas completamente diferentes. Estas mudanças ajudam-nos a sair do ninho quente, obrigam-nos a refazer memórias constantemente. E custa...
Mas tenho pensado também, que de facto somos um animal de hábitos, e que (uns mais que outros) todos temos a capacidade de nos conformarmos (pelo menos) ao lugar onde temos que estar. Somos tão previsiveis que até adaptamos a nossa vida à vida de alguém com quem queremos estar o resto do tempo.
Tenho andado a interrogar-me bastante sobre: é mesmo isto que quero fazer da minha vida? Estar uma vida inteira a fazer cartazes, logomarcas e publicidade?...é uma angústia por vezes, porque a vida tem que ser muito mais do que: crescer, ter um curso, casar, ter filhos, trabalhar, reformar, morrer.
Mas também descobri....que não sou a única a viver estas perguntas. E isso dá-me Paz.

3 comentários:

Ikas disse...

essas perguntas são bastante naturais...
mas vê por este ponto de vista... estamos numa área em constante desenvolvimento, numa área que te vai obrigar a estudar sempre, numa área que de tempos a tempos muda a rotina... e o que quero dizer com isto?

simples, o design está sempre a evoluir... o estilo de cada pessoa está sempre a evoluir, a criatividade é algo que não é constante... o que pensas hoje não pensas amanhã, a tua inspiração hoje não é a mesma que a de ontem, se fizeres um desenho hoje certamente que não é igual se apenas pensasses nesse mesmo desenho amanhã... e por aí fora!

outra coisa que é deveras uma verdade é que qualquer programa de design, animação, programação, etc... está em constante desenvolvimento, aparecem ferramentas novas todos os meses e isso obriga-nos a estar atentos, a estudar o que vem de novo para assim ficarmos sempre no topo.

"isto" não vai ser um trabalho monótono como alguém que trabalhe numa fábrica em que faz movimentos em série, sempre o mesmo, de dia para dia, de semana para semana... ou mês de ano em ano... esses sim, têm um trabalho chato e cansativo...

nós iremos ter um trabalho diferente todos os dias, algo que nos dá liberdade naquilo que gostamos de fazer.

RitaDuque disse...

Sim, isso é verdade...mas ainda não sei se é isto que me prende, percebes? Se é mesmo isto que me realiza...Sem dúvida que gosto do que faço, mas GOSTAR MESMO MESMO não sei se será.

Espero chegar lá um dia :)

RitaMendes disse...

A vida é feita de rotinas para quê? Para poderes quebrá-las!
Faz sempre o que te realiza mesmo que implique ir com aquela mochila gigante às costas e deixares as pessoas que para ti são importantes. Vais sempre encontrar outras pessoas "importantes" e esse é o espírito.
"Atreve-te a viver por amor!" =D