Return to innocence

Finalmente encontrei esta música. Não sabia dela há anos e acho-a tão bonita!

Não sei explicar, mas se acreditasse na reencarnação provavelmente teria sido Índia, Indiana ou talvez Africana, porque a ligação e o carinho que tenho por estas culturas são enormes. O desprendimento dos bens materiais é algo que me fascina. E esta música faz-me lembrar tudo isso, como o próprio nome diz é o voltar à inocência. E é disso que sinto falta para mim e para o mundo. O parar e voltar para trás, não vivendo tão agarrados ao que é superfulo. Nós na verdade não precisamos de Internet, nem de telemóveis. As pessoas eram capazes de viver sem isso ("Mas não era a mesma coisa").
Eu tive a infância mais feliz que podia ter...tive uma casa cheia de primos, de tios, avós...escavei a terra para encontrar minhocas, saltei em cima da cama dos meus pais, corri nos campos de milho, levei cabritos para casa, brinquei muito com cães e gatos, patos e galinhas, sujei-me muito, corri em dunas, pintei muito, dancei muito, cantei muito, abracei muito, li muito, sonh(o)ei MUITO. E foi tudo isto que no fundo meu deu a liberdade de continuar a viver a minha inocência.

Sou uma pessoa que caio naquelas "mentirinhas santas" todas, e acho que isso se deve à minha inocência, que agora vou perdendo aos poucos, mas que no fundo continua a base do meu - ser livre.

Quando penso no: Return to innocence, imagino-me na barriga da minha mãe, no quente. Imagino a minha felicidade quando consegui nadar pela primeira vez, ou quando soube que ía ter um mano.

O voltar à inocência da felicidade genuína...é disso que falo, é disso que escrevo, é disso que tenho saudades...e que vou lutar a vida toda para nunca a perder.

4 comentários:

Ana Rodrigues disse...

ai rita...q se pode dizer?

q escreves cmo se nao houvesse amanha...q es sincera!!!

um caminho a seguir... =)

RitaDuque disse...

Obrigada Ana! =)
Fiquei muito contente pelo que me disseste no MSN, é bom saber que tocamos alguém com algo que nos toca a nós =)
Gosto de ti afilhada! =)*

Sara disse...

Já te disse tantas vezes amiga... que estes textos que tu escreves, me fazem parar e pensar !
Este, foi mais um deles. Então depois da conversa que tivemos ontem, faz todo o sentido! É pena não podermos ficar eternamente crianças, para sermos livres... tenho tantas saudades!!!

Mas depois, vêm aqueles momentos lindos e mágicos que uma pessoa vai vivendo com o passar do tempo... e então ai, começamos a pensar de maneira diferente e chegamos à conclusão que se calhar é mesmo preciso crescer para termos a oportunidade de conhecer pessoas fantasticas e com elas partilhar a nossa vida!

És especial amiga... muito mesmo!

Adoro-te***

RitaDuque disse...

Obrigada minha Sarinha :) És muito importante na minha vida...e sabes? Fazes parte também da minha inocência :)