Documentários daqueles....

Andava agora mesmo a mudar de canal à procura de alguma coisa de jeito para ver, e deparei-me com um documentário sobre as formas de execução, nomeadamente nos Estados Unidos.
O meu balanço sobre tudo o que vi é bastante negativo. Estou meia chocada até.
O jornalista andava a fazer uma investigação sobre as formas como se matava actualmente os prisioneiros, entre as quais: enforcamento, electrocussão e a "injecção da morte", e descobriu que todas elas causavam dor, e não era 100% certo que o prisioneiro fosse morto.
Encontrou então uma forma simples, rápida e indolor. Apenas com uma botija e uma máscara com gás (não sei qual, nunca fui muito virada para os nomes difíceis das ciências) em que o prisioneiro pode morrer em estado de euforia.
A minha questão toda é: Porque não haver a preocupação em acabar com a pena de morte em vez de tentar arranjar uma morte indolor? Não acabaria o mal por ser cortado logo de uma só vez?
"Estes criminosos mataram as vitimas de formas macabras, terríveis! Merecem acabar do mesmo modo" - aceito que a revolta deve ser enorme, e a dor ainda maior. Mas matar será a melhor maneira de castigar estas pessoas? Não será um castigo maior, por exemplo, prisão perpétua? Penso que a falta de liberdade para o resto da vida será pior, a vida da pessoa acaba ali.
De outro ponto de vista... não estarão as pessoas que condenam estes criminosos a ser iguais a eles? No fundo são condenados por terem tirado a vida a outra pessoa, com que direito agem eles da mesma forma que o condenado?

Enfim...coisas que mexem comigo e que me fazem desiludir com o mundo...
Ninguém tem o direito de tirar a vida a outra pessoa, mas ninguém mesmo!

São estas a mentes brilhantes das grandes potências mundiais!

2 comentários:

Ikas disse...

já viste o "the life of david gale" ou o nome em português "inocente ou culpado"?

Rita disse...

Nop! Mas já fui pesquisar e hei-de ver. Parece-me muito bom!