O dinheiro nasce do chão (pelo menos quando o encontramos)

Ontem fui com o João dar uma volta de tarde. A meio do nosso passeio encontramos dinheiro no chão...primeiro 2 cêntimos, depois 1 euro, depois 50 cêntimos, 10, 20...por aí fora. Sei que eu fiquei com 1,70€ assim do nada. Pelo aspecto, foi alguém que tinha a carteira aberta e deixou cair. Chegamos todos contentes a casa, porque não é todos os dias que se encontra assim dinheiro no chão. O João veio o caminho todo a pedinchar o meu 1€, e eu disse que não, porque me dava jeito andar com ele na carteira, podia precisar. E assim ficámos.
Hoje de manhã fui à baixa com a mãe. Ao passarmos lá numa zona, estava um senhor cego a tocar orgão (e como tocava bem!). Ver pessoas assim sempre mexeu muito comigo. Este senhor, para além de tocar projectava a voz de uma maneira espectacular. Passei por ele uma segunda vez e não resisti em fazer alguma coisa. Meti a mão ao bolso do casaco e tinha lá precisamente 1€. Num repente disse à mãe: Olha, tenho aqui 1€ e vou-lho dar! (daquelas coisas que nos dão de repente na cabeça). E assim foi! Fui pôr-lho lá no cestito que ele tinha aos pés.
Estava aqui a pensar no meu dia, e nestas histórias que vamos vivendo e dei por mim a ter a certeza de que nada é por acaso. Se ontem não tivesse ido dar a volta de tarde com o João, se alguém não tivesse perdido o dinheiro, se eu não tivesse ficado com aquela moeda, se não a tivesse no bolso do casaco e se hoje eu não tivesse passado por aquele Homem, neste momento não me sentiria útil. Sinto que fiz uma coisa boa por quem tem um dom.
Eu até podia ter gasto aquele 1€ num palmier coberto da pastelaria Vasco da Gama (passo a publicidade ao meu bolo preferido), mas eu dava o dinheiro comia, e depois? Depois ficava sem o dinheiro e a pensar: olha só o açúcar que isso tem! Tens de parar de comer este bolo qualquer dia!... Assim, acho que o dinheiro foi melhor empregue...
Às vezes, as coisas feitas de repente têm mais sabor :)

2 comentários:

Anónimo disse...

Tu és realmente uma pessoa muito especial! Se Deus não te tivesse criado, se Deus não te tivesse posto na minha vida, eu não estaria aqui a ler "o que te vai na alma"... és especial Ritinha!!
Bjs

Teresa (SP Quarteira) ;)

RitaDuque disse...

Oh Teresinha :') Obrigada!!!
Estamos quase a dar aquele abraço :)