É preciso abrir horizontes


Ontem foi um dia de voltar a um lugar onde já não ía há muito tempo.

É um lugar de Paz e que me traz muito boas recordações. Esse local sofreu algumas obras, a paisagem modificou, fruto de alguma ambição do Homem, mas continua a transmitir-me coisas muito profundas.
Numa das paredes estava este cartaz: "É preciso abrir horizontes". E esta frase dançou-me na cabeça o dia todo. Como é que meia dúzia de palavras podem levar-nos a pensar em tanta coisa.
Abrir horizontes em que medida? O horizonte é algo que vemos, mas não sabemos o que esconde por trás daquela linha ténue.
Acho que há imensas coisas todos os dias que nos fazem abrir horizontes, e nos fazem trabalhar as nossas ideias pré-definidas. Há barreiras a transpor, e caminhos novos por descobrir.
Eu, pessoalmente, sinto-me a abrir horizontes quando viajo e conheço o mundo, coisas diferentes, culturas diferentes, arquitecturas distintas e claro, a arte de cada lugar.
Mas não é só quando viajo que me posso sentir assim (mal de mim seria, não viajo para fora assim tantas vezes), acho que o abrir horizontes passa pelo dia-a-dia, que nos vai transformando. Há tantas conversas que me fizeram ver tão mais para além do que não via. Tantos gestos...
Isto tudo levou-me a pensar em como às vezes somos fechados à novidade, ao querer mas não ao avançar (por medo), e eu sou tão assim quando algo me foge à rotina.
O sair da minha cidade é algo que me assusta. Não sair para visitar outros sítios, mas sair para ir viver noutro pedaço de mundo. Mas lá está, isso no fundo só me vai ajudar a construir-me e a ser mais forte. A lutar por aquilo que sonho.
Afinal o que nos contrói é irmos a seu tempo saindo do que é seguro, e arriscar a novidade. "Um dia troco o certo pelo incerto" vi algures num pacote de açúcar, mas há que ganhar asas e espírito para o fazer...
Entretanto esta frase ainda me vai dar muito trabalho, porque se bem me conheço não me vai largar tão cedo...

"É preciso abrir horizontes"
"....abrir horizontes...."
"...horizontes...."

2 comentários:

Rede disse...

Deixou-me encantada esta tua reflexão. Ainda continuas à volta da frase que te questionou?

Rita disse...

Sim, continuo...acho que vai andar comigo toda a vida!
Obrigada por me fazeres reler estas coisas que penso, mas que vou esquecendo ;)